quantos estao lendo agora

gostou? recomende


domingo, 19 de julho de 2009

História de Luciana Scotti

Para quem não sabe da minha trajetória de vida, vou resumi-la. Acredite, é uma história triste mas muito enriquecedora. A dor trouxe junto a maturidade, paciência e observação. Consegui tirar da minha experiência força e persistência, que eu não tinha no meu caráter; ou talvez até tivesse, mas nunca saberemos do que somos capazes até tentar, não é?

Meu nome é Luciana Scotti. .Quando eu tinha 22 anos, era recém-formada em Farmácia pela USP e sofri repentinamente uma Trombose Cerebral (AVC isquêmico). Depois fiquei 3 meses em hospitais, fiz duas cirurgias no cérebro, fiquei 2 meses em coma e recebi alta sem movimentos, sem fala, de fraldas e com sonda para me alimentar.

Eu poderia dizer: minha vida acabou ali! Poderia lhes contar com detalhes como foi difícil e doloroso superar este choque e me readaptar a essa nova vida. Poderia também escrever inúmeras linhas relatando penosamente todas as coisas que deixei de fazer. Todas vocês leriam, chorariam, sentiriam pena de mim e nada acrescentaria esse meu relato à vida de vocês, nem na minha!

Não estou aqui para contar minha tragédia pessoal...Acho que todas nós possuímos um fato triste para contar. Meu fato é muito triste? Depende. Conheço gente que tenta o suicídio por muito menos, gente que se droga porque não querer encarar de frente os problemas, gente que perde a iniciativa e vive com a inércia, esperando um milagre.

Depois da Trombose Cerebral e depois de ter ficado tetraplégica e muda, vivi 3 anos sobre uma cama hospitalar. Chorei, revivi todo meu passado, procurei culpas e culpados e pensei: morri, acabou tudo!

Enquanto chorava e relembrava o passado, fui escrevendo meus pensamentos, com o movimento de um dedo-que até hoje é que me permite escrever!! Daí resultou meu primeiro livro:Sem asas ao amanhecer. Mas publicá-lo não foi tão simples, eu não tinha movimentos, nem fala, tinha apenas a vontade e o sonho.

E assim publiquei este livro, que hoje está na décima primeira edição; depois escrevi outro chamado A doce sinfonia de seu silêncio. Voltei a estudar, pois sou muito ativa e odeio ficar parada; assim fiz mestrado na USP; publiquei um livro científico sobre cosméticos e em 2006 terminei doutorado na USP em Modelagem Molecular.

Atualmente sou pesquisadora da faculdade de Farmácia/USP. Pesquiso plantas contra algumas doenças tropicais, como a doença de Chagas, usando Quimiometria e Modelagem. Adoro o que faço!

Não falo, mas dou cursos, palestras e defendo teses; mal seguro a caneta, mas faço provas; digito com um dedo, mas escrevo livros...O que é limite? O que é impossível? Eu acredito que minha vontade não possui limites... Acredite nisso você também e se surpreenderá consigo mesmo!

Beijos carinhosos, Luciana Scotti.

sábado, 4 de julho de 2009

Sete anos depois...


COLEGAS SOBREVIVENTES:
Decidi escrever aqui no blog para deixar uma mensagem positiva; e é por isso tbm que entrei em varias comunidades para contar um pouquinho da minha experiência:,
É fato que quando estamos em condições ambientais de sentimentos negativos ficamos mais fragilizadas, deprimidas, estressadas e mais suscetíveis para o aparecimento de doenças... Eu,com 59anos SAUDAVEL pesando 57 kg., sem aparentes riscos... Ganhei 1 AVC hemorrágico do lado direito do cérebro. Causa: cansaço, e, emocional... a pressão subiu e uma PEQUENA veia explodiu, o estrago foi pequeno mas as dificuldades hufaa. . .

Eu estava viajando pro interior, uma cidadezinha sem aparelhos e sem recursos... Lá chegando, senti um mal-estar fiquei tonta logo percebi que era avc, sentindo meu lado esquerdo paralisada...
Fui carregada pro hospital. Fiquei em observação: não tinham como me remover. Foram 05 dias com dormência , espasmos, tremedeiras, repuxos, sensações horríveis sentimentos negativos tive alta sai de cadeira de rodas, eu não aceitava fiquei depressiva não queria ver ninguém...Com 20 dias voltei pra minha casa em S.Paulo.

E com a possibilidade de ficar pra sempre em uma cadeira de rodas, com sentimentos negativos andava segurando nas paredes...tomava banho, sentada e para levantar às vezes esquecia e caía...nos primeiros dias pra me vestir precisava de ajuda pq a roupa enrolava e eu me esforçava ao Maximo pra não depender de ajuda aí ficava exausta.
Não suportava barulhos Meus olhos ficaram sensíveis 2 meses e nem TV eu assistia, só ouvia radio bem baixinho com musicas de relaxamento. Sentindo-me horrorizada...Não gostava de ouvir comentários... Quis me afastar de vergonha mas minha filha existente me incentivava e me levava na marra pra vários lugares...

Senti que chorar, lamentar, esperar só por milagres não estava dando... ! Precisava fazer minha parte! Procurei forças que nem sabia que as tinha!

Sentindo-me perdida procurei ajudas com: NEURO, mentalizações, psicólogo, massagista, Reik, hidroterapia fisioterapia , sao Varias terapias demorada mas deu certo.

Após 40dias de derramada comecei fisio pra valer.. (eu acho que quanto antes começar a fazer exercício mais se recupera) Diante das dificuldades em algum movimento nos exercícios repetia varias vezes até aperfeiçoá-lo. ...emagreci...Fiquei bem feinha não gostava de olhar-me no espelho...Só melhorei depois que aceitei meus limites e comecei a rir de mim mesma... Depois de dois meses voltei a fazer quase tudo que fazia antes até sair na rua sozinha. Com muitas dificuldades para, cascar, picar legumes e frutas... fui voltando a fazer o trabalho de casa para exercitar o corpo e a mente.
depois de 4 anos já tinha recuperado 90% dos movimentos...

Nunca acreditei que melhorar um pouco era suficiente.

Estou sempre procurando alternativas...

Aprendi muito com tudo isto, sei que nada é definitivo e podemos sempre melhorar o físico e tbm o emocional.

O apoio da familia, amigos é exencial.., As comunidades foram muito importantes em escrarecer-me alguma duvida.

Hoje tenho uma vida normal e com pouquicima seqüelas na mão e pé esquerdo.
manco bem pouquinho e os dedos da mão só não pinçam objetos pequenos.
Ainda sinto um incomodo na escapula mas...

Certa vez lí que: Se falarmos muito sobre doenças, nos deixam cada vez mais doentes...

Quero dizer para que nunca acreditem que melhorar um pouco é suficiente.

Tenhamos FÉ em Deus e em nos mesmo!!!..

Exercícios sempre..., e com muita GARRA!,
Portanto cada caso é diferente dependendo das seqüelas, cada um deve procurar seu acompanhamento com profissionais...

Mudei meu estilo de vida, agora aceito mais as coisas, faço tudo, o que posso, e entrego o mais pra Deus.

Estou comemorando 7 anos de recuperaçao sinto-me bem, feliz, e agradeço a DEUS todos os dias pela oportunidade de continuar aqui aprendendo...
DARCI CARDEAL DE MEDEIROS
Para mais detalhes meu email: darcicardeal@hotmail.com

AVCI e lupus


O meu foi assim: Eu fui jogar vôlei no dia 03 de abril de 1997 no ginásio, no interior da Bahia, eu sentia muita dor de cabeça, mas continuei jogando. Peguei minha filha na casa da minha sogra e voltamos para casa. Tomei banho e fui assistir novela na sala, de repente me deu uma forte dor de cabeça e desmaiei. Meu marido subiu e foi dormir, e não me viu.

De madrugada eu acordei e ia levantar mas não conseguia e caí no chão, eu me arrastei da sala até o meu quarto e de manhã cedo meu marido acordou e eu estava sentada no chão, e ele perguntou se estava acontecendo alguma coisa comigo, quando eu ia falar, perdi a voz. Meu marido pegou-me e levou-me para o hospital. Fiquei 8 horas sem atendimento médico em casa, na clinica Santa Bárbara de Jacobina – BA. Fiquei mais 10 horas e os médicos falaram que teria que levar para Salvador – BA, porque tive AVCI. Levaram-me para o aeroporto e fomos para lá.

Fiquei no Hospital Espanhol durante 20 dias, 5 dias na UTI e 15 dias no quarto. Com oito dias eu falei uma frase embolada. Fiz uma “pilha“ de exames, e não deu absolutamente nada. Fui ao Sarah para fazer mais uma bateria de exames e não deu em nada. Fiz fisioterapia, hidroterapia, fonoaudióloga, psicologia, durante cinco anos. Meu marido voltou transferido para Jacobina. Aqui faço fisio .

Em 2004, tive duas convulsões. Em 2005, a neuro passou vários tipo de exames de sangue e acusou um “probleminha”, e encaminhou pro reumatologista, ele repetiu os exames e constatou que é lupus. Hoje, tive AVCI, afasia e lúpus. Quem quiser me add é alcezar1@hotmail.com
Beijos a todos
Alessandra
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

TRANSLATOR

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
Translator Widget by Dicas Blogger
Edit this page (if you have permission) | Report abuse Google Docs -- Web word processing, presentations and spreadsheets.