quantos estao lendo agora

gostou? recomende


segunda-feira, 8 de abril de 2013

Corinthiana na luta!


Meu nome é Cínthia, hoje tenho 35 anos, em 10 de novembro de 2010, tive um AVC hemorragico, um dia antes da minha internação trabalhei o dia inteiro, me lembro que sentia muito calor, mas era um dia bem quente, dor de cabeça, eu vinha sentindo a pelo menos 2 semanas antes da internação, todos os dias, tomava comprmidos para dor de cabeça todos os dias, e sentia muita dor na nuca, e eu achava que era por causa do bruxismo ( o ranger dos dentes ), percebi quando sai do serviço que eu estava andando torta, mas acreditei que era por causa da bolsa que eu tinha trocado de lado, sempre carregava no lado direito, e estava carregando do lado esquerdo, pra variar um pouco,cheguei em casa e minha filha percebeu que eu estava falando mole, mas tanto ela como eu achamos que minha pressão estava baixa, lembro que tomei um banho gelado e bebi muita agua gelada e fui dormir.

No dia seguinte o despertador tocou cedo para eu ir trabalhar, mas não consegui levantar da cama, e resolvi voltar a dormir, quando minha filha acordou me viu na cama e me chamou.....falando "- Mãe você não vai trabalhar hoje já passou na hora", tentei me levantar dinovo e não consegui, ai pedi pra ela chamar a vizinha pra nos ajudar e me levarem ao hospital, eu mal conseguia andar, pois o meu lado esquerdo já estava com uma certa paralisia.
Quando cheguei no hospital, fui atendida rapidamente, e logo me internaram na UTI, mas sem saber ao certo o que eu tinha, um medico fui minha tomografia e falou que eu tinha um tumor, depois um neurocirurgião foi me visitar e viu que eu tinha tido um avc hemorragico, fiquei internada 25 dias, e fiz muitos exames, quando recebi alta já tinha os movimentos do lado esquerdo melhores, mas ainda precisava de cuidados, e ai começou a busca pela causa porque quando dei entrada no hospital, não estava com a pressão alta nem com o colesterol alto.

Foram meses de idas aos médicos, realizando varios exames, fazendo fisioterapia e conciliei com acupuntura, logo meus movimentos estavam melhores, já andava sem medo e segurava as coisas com a mão esquerda, e escobrimos que eu tenho uma má formação nos vasos sanguineos do cérebro, e  devido a isso tive o quadro de avc hemorrágico.
Hoje com 35 anos, tenho apenas uma dificuldade, pois sempre digitei muito bem e rapido, hoje a mão esquerda é mais lenta e sinto uma certa dificuldade em digitar, faço acompanhamento neurologico no hospital do Mandaqui, e tento seguir orientações médicas, do tipo, tenho que controlar meus sentimentos, pois isso sim pode piorar o meu caso, não posso me irritar, ficar muito brava ou nervosa e nem muito feliz, pois ai a cabeça já começa a doer, dificil viver assim, mas faço o possivel para me policiar nesses sentimentos, sou corinthiana e é dificil..kkkkkkkk

Escrevi, para poder compartilhar a minha historia e deixar aqui um recado, que só consegui vencer pois sempre acreditei em Deus e sempre tive muita vontade de viver, sei que ainda tenho muitas coisas a viver neste mundo, nunca me entreguei, sempre lutei para ter uma vida normal de novo.

sábado, 6 de abril de 2013

35 anos, retomando vida normal

Olá a todos, na Paz do Senhor Jesus.
Nas primeiras semanas de março de 2013 comecei a sentir fortes dores de cabeça, achei que tinha comido algo que não tinha caído bem e me automediquei, tomando analgésicos e remédios para o fígado. 
Dia 04 de março de 2013, fui a uma consulta médica na neuroclínica, porque estava com a mão esquerda dormente, dificuldade de enxergar, ânsia e muita dor de cabeça, quase impossível de suportar.
Dei entrada imediata na UTI com suspeita de trombose no cérebro, mas no dia seguinte os médicos descobriram a causa do AVC, tive uma disecção da carótida, e poderia ter ficado com inúmeras sequelas, e até mesmo morrido. Mas Deus é Fiel e teve misericórdia da minha vida, tive bebê em dezembro e eu queria muito voltar para minha família, Deus me deu essa chance e fez o milagre. Fiquei 30 dias no hospital, desde UTI até a recuperação no quarto. Graças a Deus, não fiquei não com senhuma sequela, mesmo pequena, não tem como dizer diferente, Deus teve misericórdia da minha vida. Estou fazendo tratamento de anticoagulação, e não sei por quanto tempo ainda terei que tomar os medicamentos, mas tenho certeza que meu Deus não faz a obra pela metade, Ele vai me recuperar por completo e não precisarei mais tomar os remédios, eu só tenho que agradecer a Deus, por ter me livrado da morte, das sequelas, e ter me devolvido com vida para meus filhos e meu esposo. Agradeço a Deus a todo tempo, por tudo que Ele fez por mim, pois meu caso foi considerado gravissimo. Fiquem na Paz e orem sempre por mim, estarei também orando por vocês. Deus os abençoe.

AVC isquêmico e cirurgia de emergência


Olá meu nome é Josilene, venho relatar a história de um avc isquêmico que aconteçeu com meu pai aos seus 54 anos.
Ele trabalhava de caminhoneiro, fumava, e no dia que aconteçeu um dia que sempre vai fica na memória, dia 11/10/2012, cheguei em casa do serviço por volta das 18:00 hs e encontrei ele caído no chão da cozinha, quase inconsciente. 

Eu e meu marido pegamos ele e levamos pro upa onde a pressão está super alta, transferiram pro hospital onde numa tomografia constataram avc isquêmico do lado esquerdo, uma lesão muito grave. Foi pra uti, depois de 2 dias na uti, nos exames mostraram que o cérebro estava inchando. Precisaram fazer uma cirugia de emergência.

Foi horrível ver ele saindo da sala de cirurgia e indo pra uti em coma induzido. A médica falou que a cirurgia tinha sido bem sucedida, mas por ser uma lesão grave ela deu o prazo de 72 horas pra ele reagir. Foram as piores horas, nós em casa só sabíamos rezar e torcer pra noticias boas, passaram as 72 horas e foi tirado do coma induzido e no mesmo dia ele já acordou. Reconheçeu todos, só ficou com a fala e o lado direito paralisado, ficou 23 dias na uti e 15 dias no quarto. Fomos embora, onde começou sua recuperação com fonoaudiologa e fisioterapia, mas esses dias deu umas crises convulsivas onde sobe a pressão é muito assustador, vai pro hospital mas logo melhora, dia 16/03/2013 teve que fazer uma cranioplastia.
Mas graças a Deus e nós ele está se recuperando o movimento da perna esta voltando. É uma fase dificil, mas vamos superar com muito amor e muita oração. Pra nós meu pai nasceu de novo, Deus lhe deu uma nova chance.


Quem quiser entrar em contato no face é Josi Gutierrez maringá pr.oujosi.guti@hotmail.com

sexta-feira, 5 de abril de 2013

Jovem mãe se recupera sem sequelas

Olá a todos, na Paz do Senhor Jesus.
Nas primeiras semanas de março de 2013 comecei a sentir fortes dores de cabeça, achei que tinha comido algo que não tinha caído bem e me automediquei, tomando analgésicos e remédios para o figado. Dia 04 de março de 2013, fui a uma consulta médica na neuroclínica, porque estava com a mão esquerda dormente, dificuldade de enxergar, ânsia e muita dor de cabeça, quase impossível de suportar. 

Dei entrada imediata na UTI com suspeita de trombose no cérebro, mas no dia seguinte os médicos descobriram a causa do AVC, tive uma disecção da carótida, e poderia ter ficado com inúmeras sequelas, e até mesmo morrido. Mas Deus é Fiel e teve misericórdia da minha vida, tive bebê em dezembro e eu queria muito voltar para minha família, Deus me deu essa chance e fez o milagre. Fiquei 30 dias no hospital, desde UTI até a recuperação no quarto. Graças a Deus, não fiquei não com senhuma sequela, mesmo pequena, não tem como dizer diferente, Deus teve misericórdia da minha vida.

Estou fazendo tratamento de anticoagulação, e não sei por quanto tempo ainda terei que tomar os medicamentos, mas tenho certeza que meu Deus não faz a obra pela metade, Ele vai me recuperar por completo e não precisarei mais tomar os remédios, eu só tenho que agradecer a Deus, por ter me livrado da morte, das sequelas, e ter me devolvido com vida para meus filhos e meu esposo. Agradeço a Deus a todo tempo, por tudo que Ele fez por mim, pois meu caso foi considerado gravissimo. Fiquem na Paz e orem sempre por mim, estarei também orando por vocês. Deus os abençoe.

Cleidemara

AVC de tronco




Encontrei minha mãe caída no banheiro no dia 05/10/2006. Estava branca e estranha.Imediatamente chamamos a Samu, quando esta chegou minha mãe encontrava-se sentada, tinha recuperado a consciência.Os técnicos diagnosticaram como mal estar,pressão alta(mas que ja havia se estabilizado)então perguntaram  a ela se queria ir até o PS,mas que não havia necessidade.Ela não quis ir então.Mas também falaram que poderia chamar a Samu caso , houvesse necessidade.

15 minutos depois,minha mãe,começou a chorar e dizer que não queria ficar aleijada, e começou a se contorcer.Liguei para a Samu,essa disse que não viria novamente,pois se tratava d eum caso psicológico e que colocassemos ela num quarto escuro.

Levei minha mãe de táxi, já se arrastando para o PS. A neuro custou para aparecer, e ainda afalou que as tremedeiras da minha mãe eram psicológicas.
MInha mãe foi sedada(isso de  madrugada), na manhã levaram ela para fazer uma ressonância.Lá lembro da minha mãe(essa é a parte mais triste que tenho)tentando escrever com o dedinho na parede.
Não apareceu nada que diagnosticasse,por que diziam ser cedo,ma suspeitavam de AVC.Depois de muitas brigas e gritos,minha mã foi transferida para uma UTI de hospital. Lá ficou 5 dias em coma, diagnosticada com AVC de tronco. O neurologista foi um ser horripilante, quando disse que minha mãe jamais voltaria a ser como antes,que nunca mais iria se mexer,andar ou falar.Isso tudo de supetão, sem dar tempo de assimilarmos nada.
Depois de 25 dias minha mãe foi para casa,com um novo jeito de se sujeitar a vida que lhe tinha sido ofertada,cama hospitalar,traqueo,sonda,mexendo só a cabeça.Isso tudo com apenas 55 anos.
Minha mãe sempre foi linda( e até hoje é)mas chora, triste,cansada com que ela está passando,mexe um dedo ,ás vezes.Faz fisioterapia, mas aparentemente só para aliviar as dores, não tem nenhuma melhora.Tirou a traqueo há um ano,ma stambém não fala ainda,mesmo, as cordas vocais não tendo sido afetadas.
Gostaria tanto que alguém me ajudasse,me informasse de médicos especialistas interessados em mudar esse quadro.Ficaria tão grata,mas tão grata,se ao menos pudesse dar um pouco mais de qualidade de vida a minha mãe.
Minha mãe chama-se Maura, a minha mãe
"Ô Maura vem matar essa saudade"-Luiz Melodia

fabiani.mattos@bol.com.br 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

TRANSLATOR

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
Translator Widget by Dicas Blogger
Edit this page (if you have permission) | Report abuse Google Docs -- Web word processing, presentations and spreadsheets.