quantos estao lendo agora

gostou? recomende


quinta-feira, 28 de junho de 2012

Mais uma vitoriosa!


Minha história é a seguinte, me casei no dia 3 de setembro de 2011, fiz 27 anos dia 08/09/11. Fomos viajar em lua de mel e voltamos dia 19/09. Sendo que todos esses dias na minha viagem eu sentia uma dor de cabeça muito forte, mas sempre achando que era o fígado (por estar comendo comidas que não era acostumada a comer). 



Chegamos finalmente em casa, tomei banho e fui descançar, achando que a dor iria passar. Mas não passou, e só aumentava. No dia seguinte fui ao P.A de um hospital e lá, me deram alguns remédios no soro, tratando como se fosse alguma enxaqueca. A dor passou. Mas no dia 26/09/11, sai de carro, fui ao supermercado e voltei para casa normal, começei a preparar um jantar para meu esposo. Foi quando ele chegou em casa do trabalho.

Chegou, começamos a conversar, e de repente, senti como se a minha pressão tivesse abaixado muito. Sentei e meu marido me deu um copo d'água, não consegui beber e senti que não conseguia levantar. tentei falar com ele, mas a fala também já não saia mais. Ele me pegou no colo, colocou no carro e correu pro hospital.


Chegando lá, já constataram que era um AVC. Fui transferida de ambulância para outro hospital com uma UTI mais bem equipada.


Cheguei lá consciente, mas, sem saber e entender o que estava acontecendo comigo. Até que um médico e uma psicóloga vieram conversar comigo. Disseram que eu tinhs tido um AVC isquêmico do lado direito e que pela proporção da lesão, eu , provavelmente, iria perder todos os meus movimentos do lado esquerdo.


Fiquei sem saber o que pensar. Mas procurei ficar calma.
Depois de 3 dias na UTI fui para o quarto. E lá encontrei a força que eu precisava naquela hora, meu esposo, meus pais, minhas irmãs, minha família, todos reunidos para começar uma luta comigo.


E realmente foi, uma luta diária, mas, desde o começo, eu sabia que TUDO POSSO NAQUELE QUE ME FORTALECE, e sempre acreditei em milagres.


Ainda no hospital, começei com a fisioterapia e aculpuntura. Tive então, meus primeiros reflexos, e a cada dia que passava, ficava mais feliz por saber que tinha sobrevivido e que estava tendo uma chance de lutar para conseguir meus movimentos de volta e mais ainda, que estava tendo a chance de evoluir meu lado espiritual.
Rezava, rezava, rezava 24 horas por dia...
depois de 1 mês, saí do hospital, e aí começei com fisioterapia domiciliar todos os dias, hidroterapia 3 vezes na semana, e aculpuntura odos os dias. Agarrei em tudo o que eu podia. 


Ficava cansada todos os dias, mas tinha certeza que o meu esforço não seria em vão.
E não foi. Começei a andar e a mexer o braço 2 meses depois.
E hoje, 9 meses depois, já faço de tudo, dirijo, voltei a trabalhar.
Mas continuo com a fisioterapia, porque ainda arrasto um pouco a perna.
Bom é isso.
 
Se alguém quiser compartilhar alguma história, meu e-mail é mariana_cristine@hotmail.com
 
Beijos.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

TRANSLATOR

Google-Translate-ChineseGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish
Translator Widget by Dicas Blogger
Edit this page (if you have permission) | Report abuse Google Docs -- Web word processing, presentations and spreadsheets.